img

Brasil inicia processo de adesão na Agência Internacional de Energia Renovável (IRENA)

Brasil inicia processo de adesão na Agência Internacional de Energia Renovável (IRENA)

Postado por admin em 23/01/2018 

img

Iniciativa foi aprovada de forma unânime por comissão do governo federal e visa contribuir ainda mais com a produção de bioenergia no mundo

Na última semana o Brasil ganhou mais um incentivo à produção de energia limpa no país. A Comissão Interministerial de Participação em Organismos Internacionais do Governo Federal aprovou o processo de adesão, no qual o país será incluso na Agência Internacional de Energia Renovável (IRENA). 

Aprovada de forma unanime, a entrada do país na IRENA será extremamente importante na visão dos especialistas. A agência internacional é uma organização intergovernamental que apoia o desenvolvimento de energias renováveis nos países membros, bem como a redução de emissões de gases de efeito estufa. 

A participação brasileira poderá contribuir com o desenvolvimento de países que desejam impulsionar a produção de bioenergia. Através de condições ideais para o desenvolvimento de fontes bioenergéticas, o Brasil poderá fortalecer pesquisas e evoluções tecnológicas de outros países. 

Segundo o Ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, a entrada do país para a IRENA possibilitará ao país participar mais ativamente dos debates sobre o tema e também se beneficiar das ferramentas e iniciativas desenvolvidas pela agência. "O Brasil é um dos melhores exemplos da substancial representatividade das energias renováveis na matriz, tanto elétrica quanto energética, e tenho convicção de que poderemos contribuir muito com a Agência e seus países membros. Como país membro, poderemos participar mais ativamente do debate sobre temas relevantes da agenda energética internacional, bem como nos beneficiar das ferramentas e iniciativas desenvolvidas pela IRENA” ressaltou ele. 

Atualmente a IRENA possui 152 países membros e cerca de 30 países em processo de adesão como o Brasil. De acordo com Luiz Barroso, presidente da Empresa de Pesquisa Energética (EPE) e representante do Brasil nas assembleias da IRENA, destacou o pioneirismo do país em políticas energéticas e como elas contribuirão com a agência. "O Brasil é pioneiro em uma serie de políticas para inserção de energia renováveis que foram posteriormente referências para vários países. Sua participação na IRENA colocará o país na elite mundial da nova onda de discussões, exportando e importando o melhor do conhecimento sobre o tema" afirmou ele.


Fonte: Thayssen Carvalho - Biomassa BR